Cultivar, variedade, seleção…

Este post é diferente dos demais, pois que não versa sobre uma espécie específica de fruto e seu cultivo em vasos, mas ainda assim tem relação com o universo das frutas.

Por certo você já ouviu os termos “cultivar”, “variedade” e “seleção” em pelo menos uma oportunidade e, provavelmente, não se preocupou muito com o significado. Apenas absorveu o termo. Mas você sabe dizer o que eles significam?

Vamos começar pela explicação técnica amparada pela legislação brasileira. O que é uma Cultivar? Segundo a Lei de Proteção de Cultivares, Lei n.° 9.456/1997, sancionada em 25 de abril de 1997 e regulamentada em 5 de novembro do mesmo ano pelo Decreto Nº 2.366, “…cultivares são espécies de plantas (frutíferas ou não) que foram melhoradas devido à alteração ou introdução, pelo homem, de uma característica que antes não possuíam. Elas se distinguem das outras variedades da mesma espécie de planta por sua homogeneidade, estabilidade e novidade”.

Hummmm…. Você deve estar pensando: Falou muito mas não disse nada! 🙂 . Vou tentar explicar melhor: cultivar é a variedade de qualquer gênero ou espécie vegetal, que seja claramente distinguível de outras conhecidas por uma margem mínima de características descritas, pela denominação própria, homogeneidade e capacidade de se manter estável (não mudar suas características) em gerações sucessivas. Vamos à um exemplo prático: as mangas. Muitas das variedades (cultivares) comercializadas foram produzidas pela ação do homem, conforme atesta este artigo: http://jcnavegasol.blogspot.com.br/2009/02/variedades-de-mangas.html. As laranjas, assim como as bananas, também passaram pelo mesmo processo de refinamento de uma ou mais características desejadas (cor, sabor e/ou tamanho do fruto, cor e/ou tamanho da flor, resistência ao frio ou calor, resistência a determinada praga, porte da árvore, etc…) para que então pudessem ser nomeadas e comercializadas. Ficou mais claro?

Variedade e Seleção é o mesmo que cultivar. Sua origem pode ser inicialmente uma mutação natural, ocorrida por acaso, e que então o homem passou a multiplicar e refinar até produzir a cultivar desejada. É o caso da “nectarina” que, lendas à parte, nada mais é do que uma variedade de pêssego originado na região sul do Brasil devido à mutação espontânea causada por um gene recessivo. O produtor então batizou a sua cultivar de “nectarina”. Posteriormente, espanhóis, americanos, argentinos e outros, selecionaram novas características e lançaram diferentes cultivares do fruto, com nomes comerciais diferentes. Existe ainda a possibilidade de produzir uma nova espécie ou cultivar por meio do cruzamento seletivo ou acidental, sendo a jabuticaba híbrida e a mixirica  ortanique dois exemplos de cruzamento acidental.

Como você já deve ter percebido, uma cultivar nova e estável não é obtida do dia para noite. Podem ser necessários vários anos, muita pesquisa, testes e muito dinheiro para conseguir o sucesso, mas o resultado pode ser bastante compensador.

Espero que tenham gostado deste primeiro post de 2017. Um Ótimo Ano Novo para todos!!.

Em nosso próximo post falaremos sobre uma fruta muito comum na mesa dos brasileiros: a laranja. 😉

Até breve!

Anúncios

4 pensamentos sobre “Cultivar, variedade, seleção…

    • Olá Vítor! Várias de minhas eugenias (e outras famílias também) já frutificaram em vaso, algumas mais de uma vez. Cereja da Austrália, pitangatuba, pitanga e grumixama, jabuticaba, dovyalis, vários citros, amora, goiaba, cagaita, tomate de árvore, sapoti… todas estas já frutificaram. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s